Leo Ar
Ser Universitario
 

Engenharia industrial

Resumo do Curso

A Engenharia industrial, tradução de industrial engineering, ocupa-se do projecto, melhoria e instalação de sistemas integrados de pessoas, materiais, informação, equipamentos e energia. Baseia-se em conhecimentos e técnicas especializadas das ciências matemáticas, físicas e sociais, juntamente com os princípios e métodos de análise e projecto de engenharia, para especificar, predizer e avaliar os resultados a serem obtidos por esses sistemas.

A Engenharia industrial é também definida, de uma forma mais abreviada, como sendo a especialidade de engenharia que se ocupa da criação e gestão de sistemas que integram pessoas, materiais e energia de uma forma produtiva ou, simplesmente, que se ocupa da produção eficiente, com o projecto dos métodos e não dos equipamentos. Mais recentemente, a engenharia industrial foi definida como o planeamento, projecto, implementação e melhoria de sistemas consistindo numa rede de processos através dos quais fluem objectos que sofrem transformações. Estas actividades são levadas a cabo para o benefício a longo prazo da empresa ou organização.

À medida que as empresa de serviços usam, cada vez mais, a tecnologia como parte de uma estratégia competitiva, contratam, cada vez mais, pessoal com uma orientação técnica. As empresa de serviços aperceberam-se que a utilização inteligente da tecnologia pode ajudá-las a reduzir custos de operação. A mesma ideia aplica-se à informação; é uma arma competitiva. A engenharia industrial é a especialidade que utiliza a tecnologia para dar um enquadramento a melhores decisões de gestão.

Profissional / Mercado de Trabalho

O papel fundamental deste engenheiro é hoje reconhecido por muitas empresas, o que em termos de mercado de trabalho é favorável. O engenheiro industrial começa, geralmente, por trabalhar numa das áreas da sua especialidade, mas como tudo está interligado, à medida que vai começando a adquirir mais conhecimentos, pode evoluir para cargos de direcção. Os engenheiros industriais têm, geralmente, uma vocação especial para a gestão das empresas, pois conhecem e compreendem bem as necessidades da produção.

Não são conhecidas grandes dificuldades na colocação dos licenciados em engenharia industrial. Alguns alunos encontram ocupação profissional antes de completarem o curso, nalguns casos durante o quarto ano de escolaridade ou mesmo antes. A procura de licenciados tem sido, ao longo de vários anos, superior à oferta, não se dispondo de licenciados disponíveis para responder às ofertas de emprego que são feitas directamente à universidade pelas empresas. Actualmente, os empregadores continuam a absorver positivamente os recém-licenciados. A profissão pode ser bem paga, dependendo da empresa para que se trabalha, e tem sido classificada, sucessivamente, como tendo níveis de remuneração muito bons.

Num mercado altamente concorrencial, a viabilidade das empresas passa pela sua competitividade. Esta depende de sistemas de gestão industrial racionais e flexíveis, que garantam os níveis de qualidade exigidos. É exactamente este o papel de engenheiro industrial. Ele é, portanto, uma peça fundamental, em qualquer organização que pretenda vingar no mercado. Os potenciais empregadores têm-se vindo a consciencializar da importância do engenheiro industrial. As perspectivas de futuro são, por isso, favoráveis.


Universidades / Faculdades que oferecem este curso de graduação

Não foram encontradas faculdades para este curso