Leo Ar
Ser Universitario
 

Enem: Filha de lavrador planeja nova faculdade

01/10/2015 - 06:01h

Adelaide comemorou a formatura no ensino médio com seu pai, Antonio. (Foto: Arquivo pessoal)
Adelaide comemorou a formatura no ensino médio com seu pai, Antonio. (Foto: Arquivo pessoal)

Adelaide de Moura, de 18 anos, é a primeira de sua família a conseguir chegar ao ensino superior. Nascida em Ibatiba (ES), ela cursa agronomia na Universidade Federal de Viçosa, em Minas Gerais. Mas, pouco à vontade com as exigências de matemática no currículo do curso, ela agora pensa em mudar para a área de biologia. Na empreitada conta com o incentivo do pai que é lavrador e não teve chances de frequentar o ensino tradicional.

 
App traz questõese e vídeos

Para se preparar para o Enem neste ano, a jovem assiste a vídeo-aulas no Youtube, faz simulados da prova e se diverte com o aplicativo G1 Enem, onde é a primeira no ranking dos que pretendem cursar agronomia.

Além do destaque no ranking de agronomia, ela também está entre as campeãs das ‘medalhas’ distribuídas aos jogadores com desempenho de destaque – de 25, ela já alcançou 20.

Toda a dedicação aos estudos e a vontade de crescer tem relação direta com a história de Adelaide com o pai. “Uma parceria que deu certo”, na definição da estudante.  Aos 53 anos, Antonio de Moura trabalha como lavrador e não sabe ler nem escrever. A filha o ajuda e sonha em alfabetizá-lo.

“Infelizmente, como muitas outras pessoas que estão na mesma situação, ele diz que está muito velho para isso. Mas tem uma capacidade matemática incrível”, conta Adelaide. “Ele é um dos maiores incentivadores do meu estudo, mesmo sem nunca ter estudado.”

Atualmente, a menina mora em uma república, com mais duas pessoas, em Viçosa. E a família continua em Ibatiba. Como Antonio não consegue usar o celular,  pai e filha comunicam-se com a ajuda dos chefes dele, que também são padrinhos da menina. Adelaide envia notícias por mensagem, para que repassem as novidades. “Dá saudades. Sinto falta de falar com ele todo dia e poder dar um abraço”, lamenta.

Senhor do Pi e medalhas do G1 Enem. (Foto: Arte/G1)
Exemplos de medalhas do G1 Enem.
(Ilustração: Arte/G1)

A relação da jovem com a família dos patrões de Antonio é estreita. “Eles me ajudaram para que minha mãe pudesse trabalhar na colheita do café. E também me apoiaram muito quando ela se foi”, conta. Adelaide também relata que recebeu incentivo dos chefes do pai para estudar, ter contato com literatura e arte. “Lembro direitinho do livro de capa vermelha que falava das princesas. Eu adorava ler”, diz.

Conquista
A jovem conta que, no dia em que foi aprovada na faculdade, seus familiares quase soltaram fogos de artifício. “Morava em uma cidade pequena, então todo mundo comemorou”, diz. Adelaide se emociona quando relembra a conquista. “Eu não sabia expressar a felicidade que sentia. Espero que todo mundo tenha essa sensação uma vez na vida.”

Para se preparar para o Enem, usou a plataforma Geek Games, seguindo um plano de estudos em casa. Durante a vida escolar inteira, a menina estudou em escola pública na zona rural de Ibatiba. No ensino médio, foi aprovada no Instituto Federal do Espírito Santo, onde fez o curso técnico de meio-ambiente. E daí surgiu seu interesse em prestar agronomia – além de considerar um mercado em ascensão.

Atualmente, depois de cursar um semestre e meio da Faculdade em Viçosa, Adelaide repensa sua decisão. “É uma área muito promissora, mas ainda não tenho certeza se é o que quero. Estou participando de palestras e workshops para decidir até o fim do ano o que desejo”, conta. 

A estudante diz que sente dificuldade em disciplinas próximas à matemática, como cálculo. “O ensino dessa parte na escola pública foi mais fraco. Não sabia que agronomia envolveria tantos números”, afirma.

Por isso, Adelaide prestará o Enem e, dependendo de seu desempenho, avaliará a possibilidade de fazer alguma faculdade mais relacionada à área de biologia.

Para se preparar para o exame, a jovem assiste a vídeo-aulas no Youtube, faz simulados da prova e se diverte com o aplicativo G1 Enem. Além do destaque no ranking de agronomia, ela também está entre as campeãs das ‘medalhas’ distribuídas aos jogadores com desempenho de destaque – de 25, ela já alcançou 20.

Adelaide e o namorado, Wesley, competem no aplicativo G1 Enem. (Foto: Arquivo pessoal)
Adelaide e o namorado, Wesley, competem no
aplicativo G1 Enem. (Foto: Arquivo pessoal)

Namoro
Um dos estímulos para continuar brincando com o app é a competição com o namorado, Wesley Vieira, de 20 anos. Ele também prestará o Enem, para tentar uma vaga em agronomia.

“Não quero me gabar, mas vou melhor do que ele no jogo”, brinca Adelaide. E o jovem não nega: “Minha namorada é muito inteligente mesmo, fora do normal”, elogia.

Ela conta com o apoio da família e do namorado para decidir se mudará de faculdade. Wesley conta que conversa bastante com Adelaide sobre vida profissional.

“A decisão é dela e sempre darei meu apoio”, afirma. O pai, a madrinha e os três irmãos da menina (“um de sangue e dois de coração”, como diz) também continuam ao seu lado. “Aprendi que, com esforço, as coisas acontecem”, diz Adelaide.


Fonte: G1



Mais notícias
Veja todas as noticias