Leo Ar
Ser Universitario
 

Faltam 60 dias para o Enem: e agora, o que é mais importante revisar?

25/08/2015 - 07:00h

Faltam 60 dias para o Enem (Foto: Arline Lins/TV Globo)

Nesta terça-feira (25), a contagem regressiva para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) marca sessenta dias. Nesta reta final, é importante dar prioridade a determinados assuntos durante os estudos, para otimizar o aprendizado e não perder tempo - um bem muito precioso para os feras. O G1 perguntou aos Professores do Projeto Educação quais assuntos merecem atenção redobrada.

No vídeo, o Professor Wagner Costa dá as dicas de matemática, uma disciplina com conteúdo extenso e que deve ser estudada com muita atenção e prática. Assista:

No Enem, uma questão de matemática pode vir interligada a outras disciplinas de exatas, mas também pode trazer um problema prático vinculado às demais matérias. Abaixo, cada professor apresenta os tópicos mais propícios à interdisciplinaridade.

História do Brasil: sociedade escravista colonial
De acordo com o professor Lula Couto, os temas permitem a mistura de assuntos e, consequentemente, abordagens sociológicas ou históricas. Ele aconselha os alunos a levarem em consideração os efeitos dos acontecimentos do passado na atualidade. “Há muitos tópicos interessantes que podem ser cobrados, um deles é a sociedade escravista colonial e as repercussões no Brasil de hoje. O tema lida com aspectos da contemporaneidade, como o preconceito, racismo, temas que estão sendo muito debatidos hoje em dia”, alerta.

História Geral: EUA x Cuba, atual situação da Europa e valores burgueses
Do mesmo jeito que a escravidão ainda repercute no Brasil atual, acontecimentos em todo o mundo têm repercussões nacionais e internacionais até os dias de hoje. O professor Ricardo Gomes exemplifica casos que devem ser observados com cuidado.

“É interessante para os alunos entenderem como está a situação da Europa em função da crise que os gregos vivem há algum tempo. É importante ver também como o continente tem lidado com a questão recente da imigração dos africanos - para entender isso, é preciso buscar as raízes dos problemas na África”, diz o professor. Sobre as novas relações entre Estados Unidos e Cuba, ele alerta. “O aluno deve levar em consideração o significado disso para o mundo atual”, pontua.

Por fim, ele diz que nenhum estudante pode ir à prova sem entender os conceitos de propriedade privada, liberdade de expressão e liberdade de credo, comuns à Revolução Francesa, Revolução Industrial e Independência dos Estados Unidos. “Em qualquer prova, os elementos liberais podem levar a questões sugerindo uma reflexão sobre acontecimentos históricos”, diz.

Tendência de “portas fechadas” à imigração na Europa é vista com preocupação por especialistas (Foto: AP/BBC)
Tendência de “portas fechadas” à imigração na Europa é vista com preocupação por especialistas (Foto: AP/BBC)

Biologia: ecologia e meio ambiente
O professor de biologia Fernando Beltrão avisa que o Enem nega a lógica de assuntos específicos e pode trazer vários temas dentro de uma mesma questão. Mesmo assim, deu a dica. “Se é para ter um tópico,  seria ecologia e meio ambiente. É o tópico mais garantido, com certeza. Mas a melhor coisa para fazer agora é praticar”, avisa. Ele orienta os estudantes a fazerem muitas questões e praticar horas esticadas de estudo, para acostumar com o ritmo da prova.

Química: fontes energéticas, combustíveis e impacto ambiental
Um dos assuntos mais fortes para o Exame, de acordo com o professor Gilton Lyra, são as fontes energéticas e o impacto do uso delas no meio ambiente. “A preocupação maior é sempre com a parte ambiental e a química aplicada no dia a dia. Como as ciências da natureza, especificamente a química, explicam os fenômenos diários? Os alunos podem ter que explicar, qualitativa e quantitativamente, a energia que o combustível libera, quem seria melhor em relação ao impacto para o efeito estufa, para o aquecimento global…”, cita. Ele também aposta em alimentação e saúde.

Inglês: vocabulário, atualidades e cultura
Os hábitos, curiosidades e cultura dos países de língua inglesa devem ser levados em consideração nesta reta final. Estudar atualidades é importante para quem vai fazer a prova de inglês, segundo o professor Otacílio Barreto. “O aluno tem que focar em se atualizar com o mundo da língua estrangeira. Geralmente, o Enem aborda assim. Atualidades a gente aprende assistindo, escutando, vendo. Não se estuda, se vivencia. E eles devem se lembrar, também, das singularidades: que na Inglaterra se dirige ao contrário, por exemplo”, diz.

Espetáculo de dança Noche Flamenca será apresentada no teatro Castro Mendes, em Campinas (Foto: Paola Evelina)
Flamenco é uma dança típica espanhola.
(Foto: Paola Evelina)

Espanhol: cultura hispânica e compreensão do texto
O foco destas últimas semanas, para a professora Carol Bello, deve ser aprender sobre a cultura e os costumes dos países de língua espanhola. “A prova gira em torno do mundo hispânico. O aluno deve ficar ligado em acessar páginas de jornais estrangeiros, ou procurar saber um pouco sobre a literatura em espanhol, por exemplo. Gramática pela gramática não aparece na prova”, ela alega. Ela ressalta a importância de ficar sempre atualizado com o que acontece no mundo e se familiarizar com textos no idioma. “Tem que estar mergulhado nessas questões. Se o aluno não estiver consultando páginas de jornais com alguma regularidade, ele acaba tendo dificuldade na leitura”, conclui.

Português: concordância
O professor Vicente Santos pede que o estudante tenha atenção ao sujeito do verbo. “`Tem que ficar de olho se ele é anteposto ou posposto. É muito  comum a confusão quando o sujeito vem depois. Não pode dizer ‘surgiu problemas’, mas ‘surgiram problemas’, por exemplo. Sujeito no plural, verbo no plural”, afirma. Ele também dá destaque ao verbo haver, quando é aplicado no sentido de existir. "’Houve oportunidades’, não ‘houveram oportunidades’, exemplifica.

Redação: atualidades, leitura e prática
A professora Fernanda Bérgamo costuma dizer que para escrever bem é preciso ler. No caso do Enem, os temas da redação são normalmente relacionados aos temas em evidência durante o ano. Por isso, se manter atualizado com as notícias do Brasil e do mundo é um dos melhores jeitos de se preparar para o texto. “Aproveitem esses últimos 60 dias para se manter informados, fazer a leitura de atualidades. Um aluno que domina outras áreas do conhecimento é bem informado, atualizado, cita boas fontes, revistas semanais de qualidade, telejornais”, aconselha.

Fernanda Bérgamo também indica aos alunos a produção de pelo menos um texto por semana. Até o dia do Enem, são oito textos. “Ontem vi no jornal uma matéria sobre escassez hídrica. Se ele não fez um texto sobre esse assunto, faça. Só se melhora com a escrita a e prática”, orienta.

O Abaporu, obra da brasileira Tarsila do Amaral, exposta no Malba (Foto: Malba/Divulgação)
O Abaporu, obra da brasileira Tarsila do Amaral,
símbolo do Modernismo (Foto: Malba/Divulgação)

Literatura: Modernismo
A professora Flávia Suassuna não teve dúvidas ao responder qual é o principal assunto da revisão. “Modernismo”, ela disse sem hesitar. Mas também pontuou o hábito dos examinadores de fazer comparações, já que é uma das 30 habilidades cobradas no Enem. “Às vezes, quando as outras escolas caem na prova, quase sempre são comparadas ao Modernismo. Pode ser que coloquem um poema do Romantismo e outro poema do Modernismo, por exemplo, para que o aluno faça a comparação”, explica.

Física: leitura de gráficos, ondas, circuitos
O professor Diego Mendonça avisa que é importantíssimo dar uma reforçada na leitura de gráficos para compreender as questões pedidas. “Gráficos de cinemática, por exemplo, é uma parte importante de se investigar. Aliás, quando o estudante compreende bem a leitura gráfica, ele se dá bem em todas as áreas do conhecimento, como geografia, estatística”, diz, também citando a interdisciplinaridade do exame.

Ele também aposta no padrão das provas anteriores. “Alguns temas são bem relevantes porque a incidência foi grande nos anos anteriores. É o caso das ondas, dos circuitos elétricos, energia, potência e termodinâmica”, esclarece.

Geografia: questões ambientais
O professor Kiko Costa acredita que o meio ambiente também vai estar presente nas questões de geografia, além das já citadas. “Os sistemas se cruzam, não é uma coisa fechada. Um envolve o outro. É a cara do Enem”, diz. O professor Vinícius Ribeiro concorda com a hipótese. “Alguns assuntos são bem pertinentes e caem todos os anos, como a depredação ambiental, o aquecimento global e o uso irracional dos recursos”, afirma.

O professor também destaca a atividade industrial do país (especialmente durante a Era Vargas e o período militar) e estatísticas demográficas, como o envelhecimento da população. “O excesso de idosos pode causar problemas no INSS e a redução da mão de obra no Mercado De Trabalho”, explica.

Filosofia e Sociologia: ética, democracia e movimentos sociais
Entre as competências do Enem para Filosofia e Sociologia, estão a ética, a cultura, a democracia, os movimentos sociais a cidadania. O professor Fábio Medeiros destaca os principais filósofos e sociólogos que merecem ser revisados antes da prova. "É preciso ver desde Platão, com a questão da análise da democracia na Grécia Antiga, até chegar aos dias de hoje, com as democracias representativas", afirma. Ele também direciona os estudantes para a leitura atenta de Habermas, Bauman e dos levantes históricos dos movimentos sociais contemporâneos no ocidente. "Quando o estado e a sociedade não atendem a todos, é isso que faz os movimentos sociais surgirem", resume.

Você também pode acompanhar o Projeto Educação através da página no Facebook.


Fonte: G1



Mais notícias
Veja todas as noticias