Leo Ar
Ser Universitario
 

Hábito de ler e escrever foi decisivo para nota máxima no Enem, diz aluno

15/01/2015 - 19:00h

Aluno apostou na leitura (Foto: Marina Fontenele/G1)
Aluno apostou na leitura (Foto: Marina Fontenele/G1)

O sergipano Lucas Almeida Francisco, 17 anos, está entre o seleto grupo de 250 pessoas no Enem) realizado no final do ano passado. Quase 6,2 milhões de candidatos fizeram as provas, desses mais de 529 mil candidatos tiraram zero na redação, sendo que 217 mil tiveram a prova anulada porque fugiram no texto ao tema proposto.

Notas de Lucas no Enem (Foto: Arquivo Pessoal)
Notas de Lucas no Enem (Foto: Arquivo Pessoal)

Surpreso com o excelente desempenho, o jovem acredita que o hábito de escrever e ler e a citação do sociólogo Pierre Félix Bourdieu e do filósofo Michel Foucault, para fundamentar a argumentação, foram decisivos para o resultado.

Gostei do tema Publicidade infantil no Brasil logo de cara, mas tive dificuldade em organizar minhas ideias porque tinha muito o que falar. Demorei 2h30 para terminar essa parte no segundo dia de testes. A dica para ir bem na redação é ler bastante sobre tudo e não somente atualidades porque na hora vocês vai colocar no papel as informações que lhe marcaram, revela o adolescente.

Em 2013, então aluno do 2º ano do Ensino Médio, Lucas fez o Enem para testar os conhecimentos e tirou 640 na redação. Nesse último ano foquei em aperfeiçoar a produção textual porque melhora muito a média final. Aprendi que a gente deve escrever o que tem confiança e aproveitar até mesmo aquela informação que você acha que não vai servir porque ela pode fazer a diferença na consolidação das ideias e na riqueza nos detalhes dos argumentos, destaca Lucas Almeida, que espera ser selecionado para o curso de engenharia da computação da Universidade Federal de Sergipe (UFS).

Estudo extra
Lucas e o amigo Danilo dos Santos Rabelo, de 18 anos, foram as maiores notas entre os estudantes do Colégio de Aplicação da UFS. Os dois já têm textos publicados em um livro, eles foram primeiro e segundo colocados em um concurso literário promovido pela Loja Maçônica em 2014.

Danilo estudou com Lucas e também obteve um bom resultado (Foto: Marina Fontenele/G1)
Amigo de Lucas também obteve um bom resultado
(Foto: Marina Fontenele/G1)

A gente se reúne nas horas vagas para escrever poesia, conto e crônica. É um hábito que nós temos desde o ensino fundamental. Sem dúvida o gosto pela literatura e escrita fazem a diferença, meus autores preferidos são Carlos Drummond de Andrade e Manuel Bandeira e os da nova geração são Gregório Duvivier e Antônio Prata, lista Danilo que comemora os 980 pontos na redação do Enem.

Iniciação científica
Para a diretora do Codap, Jane dos Santos, a iniciação científica antes mesmo do ingresso ao ensino superior são o diferencial da instituição de ensino.

Os alunos são estimulados a escrever sobre a interpretação própria de assuntos de várias disciplinas desde o 6º ano do ensino fundamental, quando eles ingressam nesta escola pública. Desde muito cedo eles fazem pesquisas, visitas técnicas e escrevem relatórios. Todos são estimulados a ter autonomia do conhecimento. Nossos alunos são muito leitores, sempre estão com livros e não gostam de consultar apenas os resumos literários, conclui a educadora.



Fonte: G1



Mais notícias
Veja todas as noticias