Leo Ar
Ser Universitario
 

EUA é o país mais procurado por estudantes e pesquisadores brasileiros

18/05/2013 - 16:00h

O contato com institutos de pesquisa de referência e a troca de conhecimentos, experiências e cultura levam pesquisadores e estudantes a tentarem uma bolsa do Programa Ciência sem Fronteiras, do governo federal. O programa abrange programas de graduação sanduíche (quando o estudante faz parte de seu curso em uma instituição de ensino estrangeira), doutorado sanduíche, pós-doutorado, doutorado e Estágio ou especialização em 23 países até o momento.

Os cinco destinos mais procurados ficam no Hemisfério Norte, onde o ano letivo começa em setembro ou outubro e se estende até maio ou junho. As estatísticas da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) contemplam números desde que o programa foi criado, em 2011, até março deste ano, quando foi feita a última atualização de dados.

1. Estados Unidos
No topo da lista dos principais destinos de estudantes e pesquisadores brasileiros estão os Estados Unidos. Desde que o programa Ciência sem Fronteiras foi criado, em 2011, o país recebeu 4.383 bolsistas. A maior parte deles de Engenharia e de outras áreas tecnológicas. 

Do total de bolsas concedidas, a maioria foi para estudantes da graduação. No ano passado, o governo brasileiro anunciou a intenção de aumentar a cooperação científica com os Estados Unidos.

Já foram assinados convênios com a Nasa,  agência espacial americana. A parceria com os norte-americanos é considerada estratégica e inclui parceiros como a Laspau - organização filiada à Universidade de Harvard -, as Universidades e Instituições Comunitárias de Ensino Superior Historicamente Negras (HBCUs), o Institute of International Education (Instituto de Educação Internacional) e o Consórcio de Instituições Comunitárias de Ensino Superior (CCC).

2. Portugal
A facilidade linguística faz de Portugal um dos destinos mais procurados pelos pesquisadores brasileiros. O país mais recebeu 2.610 bolsistas brasileiros de 2011 a março deste ano.

O Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas e a Universidade de Coimbra coordenam o Programa Ciências sem Fronteiras em Portugal, que também conta com a parceria do CCISP, órgão de coordenação e de representação conjunta dos estabelecimentos públicos de ensino superior politécnico, com mais de 20 universidades parceiras.

Saiba Mais

Em Portugal, pesquisadores brasileiros podem contar também com a ajuda da Associação de Pesquisadores e Estudantes Brasileiros em Coimbra.

Para incentivar que bolsistas do programa desenvolvam a proficiência em pelo menos uma língua estrangeira, o governo federal suspendeu neste semestre a oferta de bolsas de graduação em Portugal. A medida foi anunciada pelo ministro da Educação Aloizio Mercadante em 24 de abril. 

3. França
Ao todo, 2.520 bolsistas brasileiros escolheram a França como país de destino. A Embaixada do Brasil na França conta com um setor de cooperação educacional, criado em janeiro de 2012 com o objetivo de incentivar o Intercâmbio acadêmico entre os dois países.

Entre os parceiros do Ciência sem Fronteiras estão a Campus - a agência oficial de informação e orientação sobre estudos na França -, o Centro Nacional de Pesquisa Científica (CNRS) e os institutos nacionais para a pesquisa em Ciências Computacionais (Inria) e pesquisa médica (Inserm), entre outros. O país é um dos maiores pólos de criação e difusão cultural no mundo. 

4. Espanha
Com 2.166 bolsistas, a Espanha aparece em quarto lugar entre os países mais procurados pelos pesquisadores brasileiros. Universidades espanholas oferecem vagas para graduação e pós-graduação.

Ciência sem Fronteiras expõe 'lado feio' do ensino de idiomas no Brasil
Ciência sem Fronteiras expõe 'lado feio' do ensino de idiomas no Brasil

Mais de 60 universidades em todos os cantos do país receberam a convocatória do ministério espanhol da Educação, Ciência e Desporto para participar do programa Ciência sem Fronteiras no biênio 2013-2014. Informações sobre vistos e documentação devem ser obtidos com um dos quatro consulados gerais da Espanha em território brasileiro.

5. Canadá
Até março de 2013 foram concedidas 1.883 bolsas a estudantes brasileiros no Canadá. O país é composto por 10 províncias, e o sistema educacional varia de uma para a outra. As línguas oficiais são o inglês, língua materna da maioria dos canadenses, e o francês.

Os bolsistas do programa Ciência sem Fronteiras têm acesso a 946 programas acadêmicos oferecidos em 95 membros da AUCC, associação de instituições do ensino superior do país. Além disso, o programa também tem parceria com o CALDO, consórcio de pesquisa intensiva formado pelas quatro principais universidades do Canadá - Universidade de Alberta, Université Laval, Dalhousie University e Universidade de Ottawa -, que têm, juntas, mais de 300 programas de doutorado.



Fonte: Terra



Mais notícias
Veja todas as noticias