Leo Ar
Ser Universitario
 
 

A Doutrina Social da Igreja e a

Solidariedade Social

17/09/2014 - 10:57h

Ariovaldo Lunardi*

                  Em pleno século XXI, apesar dos avanços da humanidade, nos diversos campos da ciência e da tecnologia, a Igreja muito se preocupa com o bem-estar dos seres humanos e as suas relações, alimentada pelo princípio de que a solidariedade jamais pode ser abandonada, pois ainda são brutais as diferenças sociais, sendo este um dos princípios basilares da Doutrina Social da Igreja, haja vista que todos somos irmãos, não mais se admitindo o sofrimento, a angústia e a indiferença.

                   A solidariedade social que a Igreja busca estimula o relacionamento fraterno e o respeito, de maneira que para todos constitua possível ter acesso ao bem comum, ou melhor, ter condições concretas que permitam a todos atingir níveis de vida compatíveis com sua dignidade, uma vez que é da dignidade que deriva a igualdade de todas as pessoas, sobretudo dando sentido à vida social.

                 No mundo atual em que as comunicações encurtaram as distâncias, nos é possível manter relacionamentos com pessoas muito distantes e até mesmo com desconhecidos. É fato que essa solidariedade deve estimular as relações entre as pessoas e os povos, possibilitando a criação ou modificação de leis, regras de mercado, ordenamentos, de forma que todos possam ter as mesmas possibilidades e acesso irrestrito ao bem comum, de forma que a vida possa ser vivida em abundância (Jo 10,10).

                Solidariedade social não é um sentimento efêmero de compaixão ou uma compaixão superficial pelo sofrimento de pessoas próximas ou distantes, mas é a determinação firme e perseverante de se empenhar pelo bem comum; pelo bem de todos e de cada um, porque todos somos verdadeiramente responsáveis uns pelos outros, constituindo totalmente incoerente a exploração de uns para com os outros, no âmbito econômico, político ou social.

               A solidariedade social, portanto, leva os seus praticantes a se sentirem integrantes de uma mesma sociedade, sem diferenças ou imperfeições, unidos, porém sentindo-se independentes, pois não existe outra via para a solidariedade humana senão o respeito pela dignidade individual.

             Por fim, a mensagem da Doutrina Social sobre a solidariedade visa transformar as relações humanas, superando acima de tudo o individualismo, o querer somente para si, possibilitando o caminhar para horizontes nunca antes alcançados, elevando o grau de virtude social, colocando na dimensão da justiça a excelência pelo bem comum, em prol do bem do próximo, edificando uma sociedade mais justa.

 

*Ariovaldo Lunardi - Advogado militante em São Paulo desde 1982, com pós-graduação em direito pela Universidade de São Paulo (USP), Teólogo graduado pela Pontifícia Faculdade de Teologia N.S. da Assunção – (PUC/SP) – 2011 e Pós-Graduado em Doutrina Social da Igreja pela Faculdade Dehoniana em Taubaté – 2012. Professor de Teologia e Formação Pastoral na Diocese de Osasco e Professor dos Cursos de Extensão de Teologia no Cogeae/PUC-SP campus Barueri.

 


Fonte: Unisal
Tags: