Leo Ar
Ser Universitario
 
 

Aluna de Comércio Exterior participará de Fórum da ONU

Estudante foi uma das 70 selecionadas em concurso com 3.500 concorrentes

01/07/2015 - 12:23h

Untitled Document

Aline Moniela Resende de Aguiar, estudante do quinto semestre de Comércio Exterior da UNITAU, foi selecionada para o Fórum da Juventude, organizado pela Organização das Nações Unidas (ONU). A aluna está entre os 70 selecionados, dentre 3.500 concorrentes de 42 países, que participarão em julho dos debates para o novo Plano de Metas do Milênio.

Quem pensa que a oportunidade surgiu para Aline Moniela de repente não imagina o caminho que a estudante já percorreu. Apaixonada por idiomas, começou sua jornada com o inglês, aprimorado durante um intercâmbio em Vancouver, no Canadá. “Foi lá também onde tive o primeiro contato com o francês”, lembra a aluna. “Apesar de o inglês ser a língua oficial da cidade, me relacionei com pessoas que falavam o francês e achei lindo. A partir daí tive muita vontade de aprender.”

Quando voltou ao Brasil, seus pais decidiram que seria mais importante aprender o espanhol, por conta da localização geográfica do Brasil e sua influência global. Aline fez o curso no Brasil, mas conta que aprendeu mesmo durante um intercâmbio que fez para o Chile.

Assim que terminou o curso de espanhol, decidiu dar início ao curso de francês. “Fiz um curso particular com um professor nativo e aprendi bem rápido”, conta. Apaixonada pelo idioma, queria fazer um intercâmbio para a França e começou a guardar dinheiro para realizar seu sonho. Em seus planos, pensava em fazer um curso como os outros que já havia feito, mas conseguiu algo ainda melhor.

Já cursando Comércio Exterior, na UNITAU, começou a fazer estágio em um escritório pequeno de uma empresa francesa, em São José dos Campos. Após nove meses, conseguiu transferir seu estágio e concluir os últimos três meses na sede da empresa, em Baiona, na França, no fim de 2014.

Quando terminou o período de estágio na França, Aline teve duas semanas de férias e aproveitou para ir a Genebra, na Suíça, conhecer o palácio da ONU. “Lembro que fiquei parada em frente ao palácio, tirei fotos, vi as bandeiras, mas era domingo e não estava aberto para visita”, conta.

Dois dias após voltar ao Brasil, começou a pesquisar sobre oportunidades de estágio, trabalho ou programas que poderia participar e se inscreveu para o concurso cultural de redação da ONU “Many Languages, One World”. Em sua segunda edição, o concurso promove o multilinguismo e a criação de cidadãos globais. É destinado a estudantes universitários e busca discutir idéias e soluções para o novo Plano de Metas do Milênio.

Para se inscrever, Aline precisava de um tutor que a indicasse. Procurou o Prof. Me. Marco Antônio Moreira Ortiz, coordenador do curso de Comércio Exterior da UNITAU, que fez todos os passos para possibilitar a participação da aluna.  Assim que inscrita, o próximo passo era produzir a redação em um dos seis idiomas da ONU (árabe, chinês, espanhol, francês, inglês e russo). Como havia acabado de voltar da França e praticado bastante o idioma, resolveu escrever em francês. “Além disso, são estudantes do mundo todo participando e pensei que haveria menos concorrência que o inglês e espanhol”, conta a aluna. Para se inspirar, leu todos os textos em língua francesa que encontrou dos últimos vencedores.

O tema proposto sugeria apresentar uma relação entre o desenvolvimento sustentável global e o multiculturalismo e multilinguismo. Aline quis fugir do tradicional abordado, como a fome na África ou a deficiência na educação no mundo. Buscou um assunto diferente e que tivesse a ver com seus gostos e ideias, para que tivesse prazer durante a pesquisa e escrita. “Abordei a migração e a mentalidade das pessoas. Quis dizer que o mundo foi globalizado, mas a sociedade não está preparada para conviver com pessoas de origens diferentes, o que gera preconceito e exclusão social”, explica.

Com exemplos recentes, como o ataque ao jornal Charlie Hebdo e a constante luta do partido político Front National pelo fechamento das fronteiras francesas, o texto levou dois meses para ser escrito e incluiu muito mais pesquisa do que Aline pensou que precisaria. “A melhor parte do trabalho foi ter aprendido muito sobre desenvolvimento global e ter melhorado meu francês ao pesquisar um vocabulário mais específico”, ressalta. Como solução, a aluna sugeriu a criação de políticas públicas de migração que protegessem o imigrante.

O terceiro passo foi o envio dos documentos que pudessem comprovar seu vínculo com a universidade e a carta de recomendação escrita pelo professor tutor. Por fim, teve uma entrevista por Skype em francês com um linguista do Centro de Linguística de San Diego, aprofundando cada tema explorado em sua redação. Depois de concluído todos os passos, o resultado positivo saiu em três semanas e foi recebido no último dia 12. “Nunca pensei que poderia conseguir! Estou muito feliz e acredito que seja uma ótima oportunidade para fazer contatos”, conclui a aluna.

O Fórum da Juventude
Os 70 selecionados irão passar, entre os dias 20 e 26/07, por uma programação cultural por Nova York e participarão de um programa preparatório na Adelphi University. Durante essa semana, serão formados grupos, que receberão um tema para debater e buscar soluções, conforme o idioma escolhido. Os resultados serão apresentados na Assembléia Geral.


Fonte: Unitau
Tags: