Ser Universitario
 

A Solidariedade é o novo nome da Paz !

História, Filosofia e Gestão Escolar

Artigo escrito por Marcos Sérgio da Silva

Data 16/03/2010

Há alguns meses, na tragédia acontecida no Haiti, o Brasil e o mundo perderam um ser humano símbolo do que chamamos Solidariedade: D. Zilda Arns.

Mais do que conceitos, ela encarnou o sentido prático do amor ao próximo.
Do desapego de si mesma e do doar-se ao outro.

Hoje, os cristãos estão vivendo um tempo novo. De reflexão, oração e sobretudo, um tempo para o exercício da partilha. É o tempo da Quaresma.

Iniciou-se também a Campanha da Fraternidade Ecumênica, com o oportuno tema : Economia e Vida.

Num mundo marcado pelo consumismo e pela busca de uma felicidade calcada no "ter", esse tempo é uma ótima oportunidade para vermos a realidade e as pessoas com outros olhos.

O grupo "Barão Vermelho", em uma de suas músicas, cantava :

Que você ganhe dinheiro
Pois é preciso
Viver também
E que você diga a ele
Pelo menos uma vez
Quem é mesmo
O dono de quem...

Dizer ao dinheiro "quem é mesmo o dono de quem" é sentir-se livre para o desapego. É não colocar a condição de sua felicidade e o sentido de sua vida apenas no "ter coisas", "comprar coisas", "usar coisas", "acumular coisas"...

Porque as coisas... ah, as coisas... são apenas isso... coisas !
E, por mais que as tenhamos, elas nunca preencherão nossa sede de infinito.

Não fomos criados para ter uma vida assim, tão fútil e superficial.
Quem não se tornou escravo do ter, sente-se livre para partilhar, doar.

Recordo-me de um grupo de crianças, na cidade de Lorena, que, nesse tempo
de quaresma, se propunha a gastar um pouco menos com balas, sorvetes, figurinhas e açais. Colocavam tudo o que economizavam num cofrinho.

Ao final desse tempo, juntavam aquilo que tinham economizado.
Compravam fraldas geriátricas, e levavam a um asilo da cidade.

Não só faziam a doação das fraldas mas, com os idosos, cantavam, contavam e ouviam estórias e histórias...

Doavam também um pouco de si. Doação do ter e do ser.

Eram crianças de onze, doze anos...

A inspiração ainda brilhante de Dona Zilda Arns, e o exemplo dessas crianças, nos estimule a fazer desse tempo uma oportunidade de viver a liberdade plena.

"É belo doar quando solicitado.
É mais belo, porém, doar por haver apenas compreendido."

(Khalil Gibran)

Partilhe ! Partilhe-se ! E será mais rico.

 

Comentários & opiniões
Comente, participe!


   
Todos os campos são obrigatários, seu e-mail não será exibido!
Comentários que forem considerados ofensivos ou SPAM, 
seráo removidos sem aviso prévio.
1 comentário(s) realizado(s) até o momento
Bruna
Sede de Infinito!
23/06/2011
É muito interessante a forma como descreve o texto.

O seu desprendimento e amor ao próximo é nítido.E o "ter coisas", sempre "mais e mais"...só nos deixa sempre... em uma busca eterna.A nossa sede de infinito, só é preenchida por Deus.Fica com Deus.


Marcos Sérgio da Silva

Marcos Sérgio da Silva - História, Filosofia e Gestão Escolar

Licenciado em Filosofia, Bacharel em Teologia, Tecnólogo em Marketing e pós-graduado em Gestão Universitária. Diretor Administrativo do Centro Universitário Salesiano de 2000-2005. Secretário Municipal da Infância, Juventude e Cidadania de Lorena (2004-2005), Diretor da ONG PROVIM (Programa Vida Melhor), ligada à Rede Salesiana de Ação Social. Atualmente é diretor do Instituto Nossa Senhora Auxiliadora (Oratório) na cidade de Cruzeiro, SP. Membro do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente e do Conselho Municipal de Educação.
Outras informações
Desde 20/11/2009
6 artigo(s) escrito(s)
10747 acessos em artigos