IFOOD DELIVERY
Ser Universitario
 
STONE
 

Diretor do UNISAL participa de missão

técnica em universidades asiáticas.

23/05/2012 - 10:52h

O Diretor de Operações do UNISAL Lorena, Prof. Dr. Fábio José Garcia dos Reis, participou da missão técnica internacional realizada pelo Semesp – Sindicato das Entidades Mantenedoras de Estabelecimentos de Ensino Superior no Estado de São Paulo – a universidades asiáticas. Entre os dias 2 e 12 de maio, um grupo formado por 42 pessoas, representando 33 instituições de ensino superior do Brasil, visitou universidades de Dubai, Pequim, Shanghai e Hong Kong. O objetivo da missão técnica foi conhecer as estratégias de gestão e as práticas de mercado adotadas por universidades que são consideradas referências no modelo de ensino superior asiático. Na foto acima, Fábio Reis está com o responsável pelo Ranking de Shanghai, Prof. Nian Cai Liu. Parcerias Fábio Reis esteve na Ásia no ano passado participando de seminários sobre ensino superior e, agora, integrando a missão técnica organizada pelo Semesp pode ampliar seu conhecimento sobre a educação naquele continente. Ele voltou muito satisfeito com a experiência e com os novos contatos estabelecidos. Revela que um tema presente nas conversas em todas as universidades visitadas foi a possibilidade de cooperação das IES (instituições de ensino superior) asiáticas com IES brasileiras. E o UNISAL tem muito interesse em estreitar relações com universidades daquele continente. Fábio acredita em possíveis acordos nas áreas de logística, comércio exterior, administração e gestão, entre outras. O diretor está certo de que “para os alunos do UNISAL será um ganho enorme conhecer como o mundo asiático produz tecnologia, como funciona seu comércio com o mundo, como é sua legislação etc. Para um profissional atuar globalmente é necessário que tenha esse olhar global, o que agrega valor a sua formação. O vínculo com universidades daquela região permitirá essa troca de informação, de conhecimento. E os asiáticos estão interessados em acordos com brasileiros, tanto que têm criado centros de estudos da língua portuguesa”. Fábio observa que é imperativo que os alunos saibam inglês, ampliem sua capacidade de comunicação, para poder participar de possíveis acordos do UNISAL com universidades estrangeiras. Ao buscar e propor parcerias com universidades de todo o mundo, o diretor da Unidade de Lorena diz não ter dúvidas de que as melhores universidades do mundo terão essa presença internacional, e constata que ao atuar nesse sentido, o UNISAL está concretizando sua Visão de “consolidar-se como centro de excelência, reconhecido nacional e internacionalmente...” Universidades visitadas A primeira universidade visitada pelos integrantes da Missão Técnica Internacional do Semesp foi a American University of Sharjah, de Dubai, reconhecida pela excelência acadêmica e caráter multicultural. O grupo brasileiro foi recebido pelo Chanceler da Universidade, Peter Heath, percorreu as instalações e conheceu alguns dos seus padrões de gestão. Em Pequim, o grupo visitou duas universidades, a Universidade da Cidade de Beijing e a Universidade de Pequim. A primeira foi criada em 1984 com apoio financeiro do Estado, mas hoje é privada e possui 28 mil alunos. Os brasileiros conheceram a estrutura, a história e o modelo de gestão da instituição, e reuniram-se com o presidente da universidade, Dr. Liu Lin, e a vice-presidente, Ran Nan. A Universidade de Pequim é pública e uma das melhores do mundo. Foi fundada em 1894 e possui 40 mil alunos. A universidade ofereceu um ciclo de palestras ao grupo brasileiro sobre a educação na China, funcionamento, perfil das IES, entre outras questões. O representante do Ministério da Educação, Sun Demin, falou ao grupo sobre o desenvolvimento do ensino superior da China, e professores do Departamento de Educação da Pequim University explicaram as características do sistema privado de educação superior do país. Em Shanghai, os participantes da missão técnica foram recebidos na Jiao Tong Shanghai University, instituição responsável pelo Ranking de Shanghai – classificação de universidades de todo o mundo. Professores da universidade apresentaram os padrões utilizados pelo ranking, o modelo de gestão adotado e outros temas relacionados ao ensino superior chinês. Fábio Reis comentou que o governo chinês selecionou 100 universidades do país para competir mundialmente, ou seja, investe nessas instituições para que se tornem competitivas internacionalmente e estejam entre as melhores do mundo. A universidade visitada em Shanghai é uma das instituições selecionadas e está recebendo grandes investimentos do governo. Hoje, ela possui 34 mil alunos. Hong Kong foi a última cidade visitada pelos brasileiros integrantes da missão técnica do Semesp. No Instituto de Educação de Hong Kong, participaram de seminário com professores locais sobre critérios de qualidade, aplicação de recursos, avaliação entre outros temas. Visitaram também o Hang Seng Management College, uma escola de administração e negócios, onde se reuniram com diretores e professores e conheceram toda a estrutura. Durante todas as visitas, os integrantes do grupo brasileiro conheceram as estratégias de gestão e as práticas de mercado adotadas pelas universidades. Os principais temas da Missão Técnica foram: modelo da educação superior da China; práticas de governança e gestão; iniciativas governamentais para inclusão e expansão; marketing e captação de alunos; alternativas para competitividade; tendências; ranking mundial e avaliação; e panorama da educação superior em Dubai.

Fonte: Unisal
Tags:
STONE EMPREENDEDOR