IFOOD DELIVERY
Ser Universitario
 
STONE

Excelentes dicas para ter sucesso em uma entrevista on-line de emprego

27/05/2021 - 11:22h

Documento sem título

Muitas empresas estão adotando o home office como trabalho permanente. Saiba como se preparar para essa tendência que segue no pós-pandemia

 

A pandemia da Covid-19 impulsionou uma tendência que antes ainda era tímida: o trabalho remoto. Para cumprir os protocolos de distanciamento social, muitas empresas ao redor do mundo adotaram o modelo de trabalho à distância e no Brasil não foi diferente. Para ter uma ideia, um levantamento feito pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) revelou que, em novembro de 2020, pelo menos 7,3 milhões de brasileiros estavam em home office. E mais: muitas empresas estão adotando a modalidade como forma permanente de trabalho.

“Os serviços administrativos de gestão financeira, logística, marketing, contábil, departamento pessoal e recursos humanos são exemplos de atividades que se adaptaram muito bem ao novo cenário”, afirma o coordenador do curso de Gestão de Recursos Humanos do IESB, Erlano Ribeiro.

Acompanhado a tendência, as empresas passaram a fazer o recrutamento de novos funcionários também a distância. A tão temida e esperada Entrevista de Emprego agora está sendo executada de forma virtual, no conforto de casa. Mas isso não significa que o candidato pode relaxar na hora da seleção. Alguns cuidados devem ser tomados antes de iniciar uma entrevista de emprego on-line.

Para saber o que fazer nesta hora, o coordenador Erlano Ribeiro e a professora Beatriz Albarello, do curso de Gestão de Recursos Humanos do IESB, dão orientações valiosas. Confira abaixo seis dicas para se dar bem:

1.         Fique atento ao ambiente que você escolherá para a entrevista. Prefira um cenário neutro, com a acústica adequada e sem elementos que possam causar distrações. Algumas dicas práticas incluem um fundo branco, em uma sala pequena para auxiliar no som e sem estímulos pessoais. Um quadro ao fundo ou uma estante organizada também são sugestões para passar a impressão certa ao entrevistador.

2.         Analisar a imagem pessoal é muito importante. Portanto, lembre-se de vestir tons neutros e não ficar mexendo no cabelo.

3.         Ter um equipamento que facilite a comunicação é fundamental para a interação e processamento das informações durante a entrevista. A dica é ter dois monitores para que você tenha suporte na hora de dialogar com vários entrevistadores e ter por perto as informações disponíveis sobre a empresa.

4.         Demonstre aptidão à vaga no currículo. São requisitos: disponibilidade e flexibilidade de horário, domínio de ferramentas tecnológicas e condições adequadas para o ambiente de trabalho em casa. Lembre-se que as entidades têm buscado profissionais que já tenham em sua residência o espaço adaptado para o home office, desde a acústica, a privacidade até recursos tecnológicos. Se tiver, deixar isso claro conta pontos.

5.         Demonstre todas as suas capacidades e diferenças: produtividade, inteligência e flexibilidade, seu raciocínio lógico e criativo, bem como a sua perspicácia e vontade.

6.         Lembre-se de, no ato da contratação, definir os horários de reuniões para não invadir a privacidade depois. No contrato, é importante avaliar as demandas emergenciais e, em casos específicos, de que maneira isso pode afetar a rotina familiar.

Processos seletivos em línguas estrangeiras

O home office também vai além das barreiras regionais e os profissionais brasileiros estão, cada vez mais, concorrendo a vagas fora do país. Para participar de um processo seletivo neste cenário, os Professores recomendam ao candidato treinar o idioma estrangeiro para se sentir mais preparado e seguro durante a entrevista on-line. No entanto, em alguns casos, o candidato não precisa se preocupar muito com a barreira linguística. O que vale, segundo os especialistas, é o conhecimento naquilo que o entrevistado propõe executar. “Atualmente, as empresas dispõem de recursos tecnológicos e humanos para driblar a limitação de profissionais que não falam a língua, mas que tem expertises em outras áreas. Tudo é uma questão de acordo. O candidato deve deixar claro que, apesar da dificuldade, possui talento na sua área de atuação e pode aperfeiçoar o idioma na medida em que esse requisito for sendo mais exigido para o cargo”, conclui o Professor Erlano Ribeiro.


Fonte: Ascom/IESB

STONE EMPREENDEDOR

Compartilhe e exponha sua opinião...

Mais Mercado de Trabalho
Veja todas as Mercado de Trabalho