IFOOD DELIVERY
Ser Universitario
 
STONE

Alunos da Univap são selecionados para atuar na “Operação Bororos” do Projeto Rondon

12/05/2015 - 17:36h

Untitled Document

Entre mais de 100 inscritos, oito alunos de diferentes cursos da Universidade foram escolhidos para atuar em cidade de São Pedro da Cipa, em Mato Grosso

São José dos Campos, 12 de maio 2015 – A Univap (Universidade do Vale do Paraíba) selecionou oito candidatos, e mais dois suplentes, para o Projeto Rondon 2015. Neste ano, os alunos da Instituição realizarão um trabalho de campo de 12 dias na cidade de São Pedro da Cipa, em Mato Grosso, sob a Coordenação-Geral do Projeto Rondon do Ministério da Defesa.

Os estudantes embarcam no dia 10 de julho, supervisionados por Docentes da Univap, para participar da Operação “Bororos”, nome de referência ao povo indígena que habita o estado do Mato Grosso.

Todas as despesas, como passagens, estadias e alimentação serão custeadas pelo Governo Federal e administração do município do Mato Grosso.

Segundo o integrante da Comissão Coordenadora da Univap-Projeto Rondon, o Prof. Dr. Alberto Monteiro, neste ano foram mais de 100 candidatos inscritos de todos os cursos da Instituição. “O objetivo do projeto é de integração social dos Universitários na busca de soluções que contribuam para o desenvolvimento sustentável da comunidade da cidade de São Pedro da Cipa (MT)  e ampliação do bem-estar da população local”,  conta Monteiro.

Para participar do projeto, os alunos passam por um treinamento coordenado por cinco docentes da Universidade, que acontece todos os sábados pela manhã, das 08h às 13h, que tem objetivo de preparar os universitários para o trabalho de campo e situações que possam ocorrer durante a missão.

“Para os alunos é uma experiência inesquecível, porque eles podem exercitar a cidadania, saindo de sua zona de conforto, convivendo com pessoas de diferentes culturas, hábitos e realidades. No fim de toda essa experiência o que vejo neles é o amadurecimento, tanto profissional, quanto pessoal. Digo para os alunos que para sempre serão ‘Rondonistas’ depois da viagem”, revela o Professor Alberto Monteiro, que quando estudante também participou do Projeto.

“Além disso, o projeto permite ao aluno vivenciar outras realidades sociais e culturais bem como aplicar na prática os conteúdos aprendidos em sala de aula, atendendo assim o caráter extensionista da formação universitária”, completa a Profª. Dra. Maria Regina de Aquino Silva, da Pró-Reitoria de Integração Universidade-Sociedade da Univap.

Celebração

O Projeto Rondon no estado do Mato Grosso tem também um motivo especial, pois neste ano, quando serão celebrados os 150 anos do nascimento Marechal Rondon, que leva o nome do Projeto.

Cândido Mariano da Silva Rondon, o Marechal Rondon, nasceu em Mimoso, no Mato Grosso no dia 5 de maio de 1865. Começou a construir a linha telegráfica de Cuiabá (MT) a Santo Antônio do Madeira, em 1907, sua obra mais importante. A Comissão Rondon foi a primeira a alcançar a região amazônica.

Nesta mesma época estava sendo feita a ferrovia Madeira-Mamoré, que junto com a telegráfica de Rondon ajudaram a ocupar a região do atual estado de Rondônia. Rondon fez levantamentos cartográficos, topográficos, zoológicos, botânicos, etnográficos e linguísticos da região percorrida nos trabalhos de construção das linhas telegráficas. Filho de Bororos e Guanás sempre defendeu a causa indígena: “morrer se preciso for, matar nunca”. Por sua contribuição ao conhecimento científico, recebeu várias homenagens e muitas condecorações de instituições científicas do Brasil e do exterior.

Sobre Projeto Rondon

A Univap participa do Projeto Rondon desde 2004 e já contou com mais de 1.500 alunos inscritos no programa.

O Projeto foi criado em 1967 e durante as décadas de 1970 e 1980, permaneceu em franca atividade, tornando-se conhecido em todo Brasil. No final dos anos oitenta, o Projeto deixou de receber prioridade no Governo Federal, sendo paralisado em 1989.

Em 2004, já com uma nova roupagem, o Projeto Rondon voltou a figurar na pauta dos programas governamentais, sendo atribuída a sua coordenação ao Ministério da Defesa. Desde então, o Rondon já levou mais de 12.000 rondonistas a cerca de 800 municípios.

Hoje, o Projeto encontra-se em processo de consolidação, com uma procura cada vez maior pelas Universidades e pelos universitários. O Rondon é mais que um projeto educacional e social, é uma poderosa ferramenta de transformação social, na medida em que conscientiza jovens que terão nas mãos o destino deste país e da importância do seu papel de protagonista na busca de uma sociedade mais justa.

 


Fonte: alamedacomunicacao.com.br

STONE EMPREENDEDOR

Compartilhe e exponha sua opinião...

Mais notícias
Veja todas as noticias