IFOOD DELIVERY
Ser Universitario
 
STONE

Como estudar para segunda fase da FUVEST e conciliar os estudos com as comemorações de fim de ano

18/12/2013 - 14:22h

Passar para a segunda fase da Fuvest é um grande passo, mas não é suficiente. O aluno foi testado na primeira bateria de questões, onde fica a grande maioria dos candidatos. Agora, segunda fase, o aluno disputará com candidatos que em média possuem o mesmo desempenho acadêmico, portanto qualquer detalhe poderá fazer toda a diferença.

Devemos considerar que a segunda fase, composta por três dias, é dividida basicamente da seguinte forma:

Primeiro dia: uma prova de Português e a elaboração de uma redação.

Segundo dia: uma prova com todas as disciplinas.

Terceiro dia: uma prova com doze questões de duas ou três disciplinas, de acordo com o curso escolhido.

Dado este panorama podemos pensar da seguinte maneira: não há como o aluno não estudar, em grande parte, a Língua Portuguesa, uma vez que irá compor ao menos um terço da segunda fase, bem como o estudo sistemático das disciplinas que compõem o terceiro dia do Vestibular mais concorrido do País.

O segundo dia de prova é o mais emblemático, é onde grande parte dos vestibulandos perdem as oportunidades, pois acreditam que com os outros dois dias serão capazes de uma aprovação direta e tranquila, onde na verdade o estudo completo, de todas as disciplinas se mostra fundamental, pois o segundo dia fará a diferença em relação aos candidatos que optaram pela mesma carreira. É aqui, por exemplo, que um aluno que tenha optado por um  curso de Humanas pode se destacar em relação aos demais, se mostrar bom desempenho em exatas também, ou seja, se demonstrar bom desempenho onde a maioria dos candidatos ao mesmo curso demonstra fragilidade acadêmica. 

É óbvio que as disciplinas que serão cobradas no terceiro dia acabam sendo as que o aluno negligencia por ter maior afinidade, assim se atrapalha quando ocorre algum imprevisto em relação ao assunto que acredita dominar. Meus caros alunos, não há segredos para ser aprovado na FUVEST. É simples: estudar, estudar e estudar. Diz o Professor de Física do Cursinho do XI, Francisco Flavio Ribeiro Viana.

Segundo o professor Flavio Viana; a época de festas deve ser respeitada, porem com a seguinte ideia: haverá festas, mas se levar a sério seu ritmo de estudos, a ausência ou a pequena permanência nas festas deste final de ano serão compensadas com a aprovação em uma das melhores Universidades do Brasil, acho que vale a pena.

Pensemos assim:

Quatro a oito horas por dia serão necessárias para que se tenha um bom desempenho.

As pausas para as comemorações são prudentes, mas os excessos fazem com que o vestibulando perca o foco e junto com ele o sonho de estudar em uma universidade como a USP.

Portanto acreditar que em época de festas o vestibular irá te esperar é um engano imenso, pelo contrário, selecionará aqueles que abriram mão das regalias para uma dedicação integral e consciente. Os dias de natal e ano novo podem ser excelentes dias para descanso e descontração, mas o foco não pode ser perdido e por isso mesmo talvez seja mais interessante que se estude e revise os temas em que possuir maior dificuldade, assim como a leitura de periódicos como jornais e revistas para que se tenha uma boa fluência na redação.

Professora de português do cursinho do XI, Augusta Aparecida Barbosa; O aluno que conseguiu passar para a segunda fase da prova da FUVEST já sabe que esta não é a hora de parar com os estudos. Pelo contrário, agora é que deve estudar mais.

Este é o momento das questões dissertativas de todas as disciplinas, portanto é claro como água que o aluno deve treinar para isso, além  de reforçar os conhecimentos das matérias específicas.

As festividades do fim de ano não devem atrapalhar os estudos. Os alunos podem e devem festejar com as respectivas famílias, porém sem exageros, controlando as horas de estudo. Parece-me que não seria necessário dizer isso, mas cada um sabe quais são suas prioridades: Entrar na Universidade ou beber até cair.  Tenho certeza de que os alunos bem preparados sabem disso.

A prova da FUVEST pede que o aluno tenha lido uma sequência de nove livros. E, são exatamente estes títulos que serão cobrados. As questões pedem que o vestibulando tenha a capacidade de ler e de interpretar. Muitas vezes tendo de relacionar com outros textos de conhecimento geral. É importante que o aluno que quer fazer parte de uma boa universidade conheça os principais autores com os quais provavelmente teve contato durante o ensino médio. Além da interpretação há também a cobrança do uso da língua, que virá na forma de desenvolvimento de um texto: a redação. Neste momento o aluno deverá mostrar-se capaz de argumentar com um vocabulário adequado, usando os mecanismos da gramática.

- Como o candidato deve estudar os temas citados para a segunda fase?

Para a prova de Português o aluno deve ler todos os livros pedidos previamente e treinar a gramática em exercícios e, principalmente, escrevendo muita redação.

Professor de Química do cursinho do XI, Alexandre Ribas dos Santos “Laranja” ; A 2ª fase da FUVEST é tão tradicional quanto a 1ª, ou seja, o modelo das questões pouco se altera de um ano para o outro. Portanto, uma olhadinha em provas anteriores vale a pena. Quanto aos assuntos abordados, o 2º dia procura ser mais geral e interdisciplinar, sendo assim, os assuntos que amarram as disciplinas como reações orgânicas (envolve química e biologia) e físico-química (termoquímica, eletroquímica e radioatividade) podem ter maior incidência. Já no 3º dia, cálculos mais longos e conhecimento aprofundado sobre determinados assuntos serão requeridos o aluno. Portanto, titulometria e equilíbrios químicos são assuntos com maior probabilidade de serem cobrados nessa etapa da 2ª fase.

O vestibulando deve se adequar a rotina familiar. Imaginando que nessa época ninguém vá aprender nada novo, é importante que o estudante separe questões de provas antigas dos vestibulares que irá prestar e mantenha seu foco na resolução delas. É algo leve e que permite manter a rotina de festas. 

A compreensão dos familiares também é muito importante. Pais, irmãos, tios e avós não devem pressionar o estudante caso ele não queira se juntar às viagens para estudar. O momento é de apoio para alguém que já deu um grande passo ao ser aprovado na 1ª fase de uma prova tão concorrida!

Professor de Geografia do cursinho do XI, Alexandre Eneias Gobbis, como previsto por alguns professores, como eu (teve os que blefaram dizendo que iria subir...), as notas de corte caíram um pouco e isso facilitou a vida daqueles candidatos, que ficam sempre no limite de pontuação para passar para a segunda fase.

No caso desse tipo de candidato, o momento é de intensificar a preparação.

Tem que ler MUITO, mais do que jamais fez. Sim porque a segunda fase é para quem SABE ESCREVER.

Literatura (aquela para o vestibular) é fundamental (sim, há questões de Geografia, tiradas de autores literários), artigos científicos, mas, sobretudo IMPRENSA, em geral. Tem que ler tudo; todos os órgãos e mídias, jornal, revista, internet, etc. Quem lê, escreve.

Se o aluno treinou apenas resolução de questões de múltipla escolha,fechadas, deve agora, mudar e passar a escreve mais.

Uma dica é FICHAR o que estuda os conceitos, textos e até questões.

Aprenda a fazer Fichamentos, pois na Faculdade é isso o que MAIS vai ter que fazer.

E quem já vem fazendo tudo isso, há tempos?

Ah,então é hora de relaxar. Aproveite as festas, uma semaninha, para se divertir,SEM EXCESSOS,depois, volte a estudar em janeiro.

Mas SÓ,quem já tava estudando pra segunda fase. Para os que foram "pegos de calças curtas", isto é, não estavam esperando, ou não haviam começado ainda...bom, o caminho é meio longo. Comece já.

Siga o Emprego-YouCan no Facebook

Siga o Ser Universitário!

Integre-se            ao nosso perfil no facebookFacebook
Nos            siga no TwitterTwitter
Participe de nossa comunidade/perfil no LinkedinLinkedin


Fonte: Assessor de Imprensa PecPress

STONE EMPREENDEDOR

Compartilhe e exponha sua opinião...

Mais notícias
Veja todas as noticias