IFOOD DELIVERY
Ser Universitario
 
STONE

'Pôquer é escola para a vida', afirma professor sobre curso da Unicamp

07/09/2014 - 10:01h

Aula de pôquer Unicamp Limeira (Foto: Alessandro Meirelles/ G1)
Cartas e fichas são proibidas nas aulas; Professor usa projetor  (Foto: Alessandro Meirelles/G1)

Estratégia, dedicação, paciência e coragem para tomar decisões e arcar com as consequências. Os conceitos lembram o curso de Administração de Empresas, mas também fazem parte da disciplina Fundamentos do Pôquer, que pelo segundo ano consecutivo é a matéria opcional mais disputada na Faculdade de Ciências Aplicadas (FCA) na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) em Limeira (SP). As aulas não têm a intenção de formar jogadores, mas mostrar como as técnicas do jogo podem ajudar no sucesso pessoal e profissional dos alunos. "O pôquer é uma escola para a vida", disse o matemático Cristiano Torezzan, na aula inaugural realizada na quarta-feira (3).

O curso tem duração de quatro meses, com uma aula semanal de duas horas. O tema atraiu 203 inscritos, número acima da lotação máxima de 130 pessoas. Foram aceitos os melhores ranqueados em um sistema de seleção da Unicamp. Por incrível que pareça, cartas e fichas são proibidas na sala de aula. O ensinamento é oral e por meio de um projetor. Como tarefa de casa, os estudantes são orientados a instalar um software gratuito que servirá como Material De Estudo e plataforma para competições na reta final do curso.

Ex-aluno de pôquer da Unicamp em Limeira (Foto: Alessandro Meirelles/ G1)
Gabriel Baueb Santos foi o melhor aluno em 2013 e
joga em aplicativo (Foto: Alessandro Meirelles/ G1)

Laboratório de decisões
A principal intenção, no entanto, é usar o jogo como um laboratório para tomadas de decisões na vida real. "Entre as várias lições que o pôquer traz para o dia a dia está o autocontrole das emoções frente às diversas situações. Sejam adversas ou de alegria, o jogo lida a todo momento com altos e baixos, com ganhos e perdas. Poucos sabem agir em uma situação de risco se não passam por ela", disse Torezzan.

O professor ainda dá exemplos de como a teoria pode ser útil no cotidiano. "Ajuda em situações de estresse profissional, em que a pessoa é submetida a uma grande pressão, em uma Entrevista de emprego, na apresentação de um projeto ou ao falar em público. Vale até para quem for conhecer o sogro pela primeira vez", descontraiu.

Campeão mundial
Três jogadores profissionais prestigiaram o primeiro dia de aula. Entre eles, André Akkari, vencedor em 2011 do World Series, o mais famoso campeonato de pôquer do mundo. Ele começou a jogar profissionalmente em 2005 e já disputou 16 mil torneios. Somente nas disputas online, já faturou US$ 3,5 milhões. Nos últimos três anos, Akkari abriu ou adquiriu sociedade em 14 empresas. Em todas, usou o conceito de "range" aplicado no pôquer.

"Quando jogamos colocamos a outra pessoa em uma área de atuação, ou seja, ela pode ter uma carta de tanto a tanto. Nunca pensamos que ela tem, por exemplo, somente um par de 7 ou de 8. Conforme o jogo segue vamos retirando possibilidades até chegar no final sabendo exatamente o que o outro tem. Nos negócios, esse conceito é ultraprático e aplicável. Podemos usá-lo, por exemplo, na escolha de um novo ponto ou na compra de um carro. Devemos escutar antes de falar, fazer análise de contenção de riscos e saber estabelecer padrões. É uma 'brincadeira' que dá muito certo", citou Akkari.

Campeão mundial de pôquer André Akkari (Foto: Alessandro Meirelles/G1)
Campeão mundial André Akkari abriu 14 empresas usando conceitos do jogo(Foto: Alessandro Meirelles/G1)

Mudanças reais
Quem fez o curso em 2013 garante que os ensinamentos fizeram a diferença. Gabriel Baueb Santos, de 20 anos, foi o recordista de pontuação. O estudante aprendeu as regras sozinho quando tinha 13 anos. Mas foi no curso que assimilou os fundamentos que agora aplica na realidade. "Aprendi a pensar a longo prazo e a administra melhor o meu dinheiro. Também melhorei minha concentração e, com isso, até o relacionamento com meus pais foi beneficiado", disse.

"Na vida há muitas situações em que respondemos rápido quando deveria haver outro pensamento. O pôquer te ensina a saber ler a situação em que é necessário realmente pensar bem antes de agir por impulso", destacou outro aluno da edição 2013, Henrique Kojin.

Quem optou por frequentar as aulas pela primeira vez também saiu satisfeito. "Nunca joguei pôquer. Mas achei interessante e inusitado. Quero aprender essas noções de raciocínio lógico, matemática e estratégia", comentou a universitária Larissa Sulinski.



Fonte: G1

STONE EMPREENDEDOR

Compartilhe e exponha sua opinião...

Mais notícias
Veja todas as noticias